15/01/2012

A Religiosidade

A religiosidade está afastando os crentes da igreja. Os cargos e funções estão prendendo alguns líderes com tantos afazeres que eles nem tem tempo para se dedicarem a família, a ter a sua própria devocional diária. Não podemos prender as pessoas dentro da igreja, elas têm que ser a igreja em movimento, que vai a todos os lugares para pregarem o evangelho de Cristo.
Jesus ensinou que devemos ir e pregar o evangelho a toda criatura e batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. É para IR e não FICAR preso as quatro paredes.
Se alguém prega o evangelho com interesses egoístas, está conduzindo o rebanho para o abismo. A igreja, como estrutura é um local onde nos reunimos, ouvimos a palavra e cultuamos a Deus de todo o nosso coração em comunhão com os irmãos. É maravilhoso estar na congregação dos santos e Deus nos incentiva a congregar.
Ensinar a doutrina de Cristo é o dever de todo sacerdote, juntando a isso, impreterível é que oriente a igreja a ter comunhão com Jesus diariamente.
O líder da igreja é uma autoridade instituída por Deus, porém, não podemos pensar que ele é o detentor de toda a verdade, porque toda administração tem interferência humana.
É importante que a igreja tenha regras, ordem, disciplina, amor, e que seja bem organizada. A questão é quando isso se torna a vida da pessoa, e esta deixa de seguir o seu verdadeiro chamado.
O sacerdote não tem o direito de sufocar o chamado de um cristão. Alguns até dizem que a igreja precisa que o obreiro trabalhe em áreas que ele julga ser importante, mas, na realidade ele não está respeitando o que Deus realmente quer para ele.
Podemos resumir a religiosidade como hipócrita e soberba. Tem aparência de santa, mas, sempre esconde pecados. Soberba, porque se julga mais sábia do que Deus.
Jesus nos chamou para sermos livres e não cativo de doutrinas que Ele não ensinou.

A religiosidade é limitadora, porque quer determinar e decretar, promover uma interpretação equivocada da palavra de Deus.
A religiosidade escraviza através de doutrinas humanas, pela ótica de um coração enganoso.
Se Jesus disse: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 7:21), esse verso é prá todos, cabe principalmente ao sacerdote.

Não somos donos das pessoas e nem ditadores de suas vidas, somos servos de Deus para abençoar, amar, disciplinar, apascentar, curar, libertar, respeitando a autoridade maior que é Jesus, o cabeça da igreja.

Todo comportamento na igreja ou na sociedade tem um efeito para a comunidade, bom ou ruim.
Jesus não veio para agradar aos homens, Ele veio trazer a espada e cumprir o Seu chamado. Ele era, e é verdadeiro e chamou os fariseus de hipócritas, João Batista os chamou de raça de víboras, Jesus e João Batista eram autênticos e falavam a verdade.

Precisamos ser cristãos autênticos e verdadeiros. RESPEITO PELA IGREJA DE CRISTO, E TEMOR A DEUS!

Abaixo, tem um vídeo do jovem evangelista Jefferson Bethke, membro da igreja  Mars Hill Church em St. Auburn, Washington, diz que tem no coração “o desejo de levar o Evangelho de Jesus Cristo para mudar vidas”. (Fonte: Gospel Prime)

“Por que eu odeio a religião, mas amo Jesus”, vídeo ultrapassa 9 milhões de acessos

Dia 10 de janeiro ele publicou no YouTube um vídeo intitulado “Why I Hate Religion, But Love Jesus” [Por que eu odeio a religião, mas amo Jesus]. Com uma produção simples, da CIK Productions  e dirigido por Matthew Robertson, que já produziu vários grupos cristãos de hip-hop.
O rapaz, em frente a uma câmara declama sua poesia em forma de versos rimados que procura mostrar a diferença entre Jesus e a religião.
Para sua surpresa, ele se tornou vídeo mais assistido do ano no Youtube, com mais de seis milhões de acessos. Com toda essa repercussão, acabou gerando centenas de comentários sobre o verdadeiro significado da fé e se tornou matéria de vários sites cristãos e ateus.
A maioria dos críticos diz que Bethke usa de falsos argumentos, pois diz não gostar de religião mas defende o cristianismo (que é uma religião) e de tentar desacreditar a igreja, criticando-a.
Foram mais de 70 mil comentários no seu canal do Youtube. Ele esclarece que procurou apenas expor a hipocrisia e legalismo de muitas igrejas.  Mesmo assim, foi bombardeado de perguntas de outros cristãos sobre as suas motivações.
Acabou escrevendo em seu Facebook um desabafo: “Se você estiver usando o meu vídeo para detonar com a ‘igreja’, tenha cuidado. Eu nunca tive a intenção de fazer isso”.

O Gospel Prime apresenta em primeira mão a versão legendada para que cada um tire suas próprias conclusões:


FONTE: http://noticias.gospelprime.com.br/por-que-eu-odeio-a-religiao-mas-amo-jesus-video-ultrapassa-6-milhoes-de-acessos/

Um comentário:

  1. Jesus é a verdade Ele nos mostra onde está nosso coração. Creio que quando nosso coração está NELE, Não vivemos como robôs religiosos vivemos de forma simples guiados pelo Espirito Santo com coração sensível. Ao falar do Espirito Santo consequentemente amamos falar do amor Dele para as pessoas.... Sem buscar nossos próprios interesses e sermos reconhecidos em uma platéia. e o que vive na verdade não age assim.

    ResponderExcluir