17/04/2012

Deserto, um Lugar de Preparo.


Ninguém quer morar no deserto porque não tem água e comida para sobreviver, além do mais existem animais venenosos como cobras e escorpiões, répteis, aranhas e insetos como gafanhotos.
Um lugar nada agradável para se viver.
Na bíblia, o sentido da palavra deserto, era literal. Apesar de que o foco, o objetivo de Deus é o mesmo para nós quando temos períodos de escassez em nossa vida, seja material, espiritual, emocional ou físico. Costuma ser tudo junto ou a maior parte deles.
Para o cristão que conhece a palavra de Deus precisa ter consciência de que passar pelo deserto é um período de grande importância para o seu equilíbrio e fortalecimento da fé.
O deserto aqui a ser tratado é aquele estágio onde você não tem mais o controle da situação, é quando você já orou, lutou de todo o jeito que poderia, mas, não viu resultado, situações inesperadas acontecem. Um sentimento de impotência paira ao seu redor fazendo com que se sinta fraco e com a sensação vulnerabilidade.

Então começam as indagações, o sentimento de culpa. A vida muito corrida não lhe permite parar para refletir. Muitos questionamentos são feitos para encontrar o motivo do aparente fracasso.
Mas, muitos não discernem que é Deus querendo que você pare tudo para ouvi-lo.
O deserto é um lugar solitário, você só consegue ver a sua própria sombra, porque se sente sozinho, e o medo assombrando, tentando convencer que é o fim.
Quando você se vê sozinho e ninguém pode resolver por você, você pode estar no “deserto de Deus”, para ser aperfeiçoado, lapidado e abençoado por Ele.

Quando existem perdas, você já fez tudo o que podia fazer e resolveu pouca coisa ou nada, é momento de deixar de murmurar, questionar e ouvir o que Deus tem para lhe ensinar.
Neste período, mesmo que falte o suprimento, falta de luz, água ou comida em casa, e até emprego, é preciso confiar em Deus.

Deus vai forjar o seu caráter, vai moldar a sua fé. No deserto você não vê pessoas ao seu lado, a preocupação com a situação em que se vive faz com que você não pense em outra coisa a não ser tapar os buracos. Deus precisa tirar o controle remoto das suas mãos e a independência financeira para que você tenha sua atenção voltada para ouvir o que Ele tem a ensiná-lo.
Será um período de ensino, preparo, de moldar o seu caráter de acordo com a que Deus tem para a sua vida. Acertar as arestas, pendências que foram deixadas em último plano.

O tempo de permanência no deserto vai depender da sua dedicação em ouvir, meditar, atender e obedecer. O deserto não é para sempre.
Essa fase é dolorosa, mas, compensadora, porque Deus prova o quanto Ele pode abençoar até mesmo quando se tem falta das coisas. Ele faz vir o suprimento onde você menos espera. Ele realmente trás a existência o que não existe. Você pode pensar que Deus se esqueceu de você, esse é o grande momento de Deus agir poderosamente. Deus tem um prazer enorme em manifestar a Sua glória.  

Diante da dureza de coração do ser humano, dificilmente compreenderá a forma de Deus agir, é por isso que muitos vão à igreja pela dor e não por amor.
Passar pelo deserto é um período de escassez, mas, de muitas experiências impressionantes com Deus. O favor de Deus também está no deserto, mais forte que quando estamos em momentos de abundância. Deus sabe das coisas que sentimos falta e da nossa urgência, porém, Ele não se abate por isso, porque, Ele tem o controle de tudo.

O povo que murmurou e questionou a Deus neste período morreram e não alcançaram as promessas. Duvidaram.

“Não endureçais os vossos corações, Como na provocação, no dia da tentação no deserto. Onde vossos pais me tentaram me provaram, E viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos. Assim jurei na minha ira Que não entrarão no meu repouso. Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;
Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim. Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação. Porque, havendo-a alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés. Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? E vemos que não puderam entrar por causa da sua incredulidade”. (Hebreus 3:8-19)

Você pode chorar desabafar, porque esse quebrantamento faz parte do tratamento, mas evite a murmuração e de fazer questionamentos Deus, desrespeitando-o, porque senão terá que ficar mais tempo debaixo da disciplina de Deus. E quanto mais resistirmos, mais Ele irá nos confrontar, até que o Seu propósito se cumpra em nossa vida.

Quando não aceitamos os ensinos de Deus, resistimos a Ele e conscientemente ou não podemos afastá-lo de nós. E por ignorância ainda reclamamos e perguntamos por que Deus nos abandonou.
Os que se desviam de Deus, decidem por vontade própria não querer mais segui-lo, preferem fazer sua própria vontade, ficam anos afastados dos caminhos do Senhor e imediatamente quando mudam de ideia querem que Deus os perdoe, e os abençoe suprindo todas as suas necessidades. Esse modo de agir é soberbo. Se a pessoa escolhe o tempo que quer se desviar, e fazer a sua própria vontade, como pode querer que Deus realize os seus desejos imediatamente?

Como foi dito anteriormente, o grande propósito de Deus é nos preparar, moldar, forjar o Seu caráter em nós para termos comunhão com Ele, e que os frutos apareçam, e a manifestação da Sua glória seja conhecida até mesmo pelos que não O conhecem.
Nem sempre o deserto é ausência de coisas materiais, você terá seu emprego, um bom casamento, porém, não está satisfeito consigo mesmo. Note que Deus está sempre buscando uma maneira de falar conosco.

Um alerta de Deus para nós!
Quando saíres do deserto, não se esqueça do que fez o Senhor por você. Lembra-te de todas as vezes que Ele o livrou da morte, da miséria, da vergonha, dos momentos que Ele mostrou o caminho, poupou você de constrangimentos, ensinou maneiras de como melhorar o seu orçamento, tendo paciência e aguardando você estar pronto para começar tudo de novo.
Reconhecer o favor de Deus, ser grato a Ele é um sentimento que deve estar sempre conosco.

Quando passamos pelo deserto, e tudo o que aprendemos com Deus e testemunhamos do Seu grande poder é nosso dever passar para os nossos filhos, a nova geração, as maravilhas de Deus.
Quando receberes o favor de Deus agradeça a Ele, porque muitas vezes que Ele tem livrado a sua vida de perigos, Ele coloca pessoas para consolar quando está triste, por causa da sua bondade nos dá o alimento diário, por sua grande misericórdia nos perdoa quando nos arrependemos e está torcendo por nós quando decidimos começar tudo de novo.
O Seu favor está sobre todos, mais ainda na vida dos que se interessam em conhecê-lo e buscam obedecer os seus mandamentos e estatutos.
“Não os encobriremos aos seus filhos, mostrando à geração futura os louvores do SENHOR, assim como a sua força e as maravilhas que fez. Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer a seus filhos; Para que a geração vindoura a soubesse, os filhos que nascessem, os quais se levantassem e a contassem a seus filhos; Para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos.” (Salmo 78:4-7)
Sendo assim, agradeça, agradeça e agradeça!

No amor de Cristo,
Pra Lúcia Pandolfo

Nenhum comentário:

Postar um comentário