14/10/2013

O PODER DAS PALAVRAS [parte I]

O amor começa a se esfriar sutilmente quando o temor a Deus vai sendo desprezado.



A língua também é fogo, como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno. (Tg 3.6)
Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. (Tg 1.19)
Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha (veneno) mortal. Tiago 3:8
Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração. (Mt 12.34) 
Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo.
“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará.” (Mateus 24.12)
Porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado. (Mt 12:37)


Essa ilustração da anatomia da língua reparem que o "doce" está na ponta da língua. Deus sábio que é já nos deu a direção, a nossa língua tem que ser doce, devemos evitar a amargura, o azedume, note que vai ficar mais amargo quando vai se direcionando  para dentro do nosso corpo. Isso é um alerta para nós.


RELACIONAMENTOS ROMPIDOS
(Mateus 5:22-26)

"Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca (injúria, ofensa), será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno.
Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta.
Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil".




Pra Lúcia Pandolfo


Nenhum comentário:

Postar um comentário